quarta-feira, 28 de outubro de 2015

GIMP e os 'seguidores' nas redes sociais

Percentual relativa de usuários de Photoshop e GIMP nas principais redes sociais.
Ultimamente tenho estado bastante ocupado em tarefas bem esquisitas e fora do contexto da ilustração... mas mesmo assim estive estudando uma serie de temas para os próximos posts no Forks.

Um destes está relacionado com o GIMP e o futuro deste programa de edição de imagens mas também de pintura digital. No qual, estou tentando participar ativamente da discussão nas mailings lists e de vez em quando arrisco algumas coisas no IRC. Mas sinceramente, tanto as mailings lists quanto o IRC são coisas bem difíceis de engolir para pessoas que tem uma atividade mais criativa ou artística... não são as ferramentas naturais destas áreas.

Entender o que pensam e como pensam os artistas e profissionais, poucos e sempre minguados, que usam software livre e com métodos mais atuais é uma necessidade sempre mais evidente e principalmente depois do surgimento das redes sociais.

Então para tentar provocar uma discussão sobre o do GIMP... eu andei fazendo uma pequena pesquisa nas redes sociais. Procurando os números que pudessem dar a noção de usuários que seguem os canais do GIMP nas principais redes sociais.

A minha ideia, pode parecer bastante simplória (em parte o é ;-),  mas como não existe, que eu conheça, estimativas sobre os usuários do GIMP, talvez as redes sociais, poderiam dar uma noção da ordem de grandeza. Claramente é aproximada... mas na falta de algo mais confiável e exato... pode ser um primeiro passo pra entender... o quanto GIMP é conhecido, seguido e talvez usado (o numero real de usuários é complicado de achar com tal método).
Eu usei este mesmo sistema para referenciar os usuários de Photoshop... então na ordem de grandeza e na relação existente com o GIMP... o método parece ter alguma validade.

O primeiro gráfico que produzi foi pra investigar o total de seguidores de GIMP e do Gnome nas redes sociais [ver abaixo].
Numero de usuários de GIMP e GNOME nas redes sociais.
Precisa ressaltar que no caso do Facebook, Twitter e do Flickr, o GIMP Oficial não tem um account. Por exemplo o dado do Facebook é produzido por um search aonde o Facebook diz que existiriam um numero de possíveis seguidores ou interessados na palavra GIMP.

Informando: desde de 27 de novembro de 2015, é presente no Facebook a pagina oficia. Este artigo foi feito no final de outubro e depois de um mes foi criada uma presença oficial nesta rede social.

No G+ existe a page... mas ela é pouco usada pra vincular novidades e tão pouco tentar incentivar a discussão em torno de temas espinhosos :-). O Krita tem muito menos presença na rede, que o próprio GIMP e, no entanto, parece perceber com maior eficacia o quanto é importante a relação com usuário... isto parece estar sendo feito muito bem com o site oficial deles.

Na minha opinião é necessário ter paginas oficiais nas principais redes sociais e manter informados os possíveis interessados e seguidores... é talvez o único modo de criar massa critica, para que um bom numero destes interessados possam virar usuários e por ventura colaboradores e ou disseminadores do aplicativo. Temos que estar aonde os usuários estão... dificilmente, na rua sem saída... mas muita conhecida pelos já experimentados frequentadores... não será o “point” da maioria de usuários e provavelmente nem caberão todos ali :-).
As redes sociais são um grande mergulho na heterogeneidade e dentro destas estarão todos os tipos de usuários... aqueles amadores e ou hobistas... e aqueles profissionais e de alto nível que dão brilho e lustro ao aplicativo.

Com relação ao Photoshop, considerado por muitos o rival... mas que sinceramente dados os números que estive analisando... tem muito chão ainda pra virar rival ;-)
Numero de seguidores de Photoshop e GIMP nas principais redes sociais.

Acho que era de se esperar um tal contraste (tipo no facebook o Photoshop possui 7 milhões de seguidores contra os 54 mil de GIMP)... mas também serve pra dizer... que uma tal diferença e tão grande... alguma coisa tem que ser pensada. Escutando e lendo o pessoal que usa GIMP... se dá a entender uma relação mais paritária ou quanto menos não tão critica como posso notar aqui destes números. Precisa pensar e tomar ato que as vezes as coisas não são como a gente imagina ou gostaria que fosse. Isto não quer dizer que GIMP seja melhor ou pior... mas é útil entender que se colocamos “A“ em relação a “B“... temos que ter ideia da ordem de grandeza no contexto que estamos usando “A” e “B”.

Finalizando, os dados falam por si só... mas muitas vezes podem ser interpretados como a gente bem entende e quer... então no meu caso... eu acho que a gente não está com essa bola toda e é bom mostrar o quanto na plateia somos em numero, e como tal, temos que bater bater palmas mais fortemente... pode ser que não seja importante... pode ser importante, sei lá... mas se quisermos ser escutados... primeiro alguém vai ter que escutar nossas palmas :-)

Errata e corrige: onde se lê 'Users' nos gráficos é mais correto usar e entender no sentido de 'Followers' ou seguidores.

domingo, 19 de abril de 2015

Pintura digital com texturas - Gimp e MyPaint

Nestes últimos tempos tenho trabalhado bastante com ilustrações e tenho tido pouco tempo pra escrever aqui... mas de qualquer modo tenho feito pesquisas que unem a pesquisa sobre pinceis úmidos para o MyPaint com a possibilidade de criarmos pinturas com texturas no Gimp.
Ilustração para artigo do Observatório da Imprensa. Desenho à lápis digitalizado e cores aplicadas no MyPaint com pinceis pastosos e ou úmidos.
De fato nos meus trabalhos de ilustração que tenho feito para a Folha de São Paulo, para o blog do Matheus Pichonelli no Yahoo e matérias do Mauro Malin do Observatório da Imprensa... tenho usado de alguma forma os pinceis e algumas técnicas para colocar texturas nas minhas ilustrações.
Nestas ilustrações tenho trabalhado com uma metodologia hibrida, fazendo os desenhos à lápis e depois passando-os para digital com o scanner... num outro artigo vou descrever o processo, que pra mim parece bem interessante e prático.
Ilustração realizada para a Folha de São Paulo... com desenho à lapis digitalizado e colorido com pinceis pastosos feitos para o MyPaint.
O processo inicialmente foi discutido com o Mozart Couto e chegamos a alguns denominadores comuns... basicamente individuamos, entre vários, dois métodos possíveis... e cada um destes depende de como cada artista se adapta melhor dentro do seu próprio workflow.

No Gimp podemos pensar em texturas em duas formas diferentes... as texturas propriamente ditas ou patterns e as manchas ou marcas produzidas por pinceis combinados às dinâmicas de pintura e opções do Tool Options.
Texturas multiplas a partir de marcas de pinceis (aplicado na Layer Mask).
As texturas propriamente ditas podem ser aplicadas com dois instrumentos: o Bucket Fill Tool [] e Clone Tool [Carimbo]. Pensando em termos de pintura digital os dois instrumentos são validos mas seguramente o Clone Tool é bem mais versátil.

Os métodos de aplicação de textura

A minha ideia é relatar dois metodos, aquele que considero o convencional e que irei tratar neste post... e aquele que utiliza Layer Mask... que farei um post somente dedicado a este método.

1 - Convencional

Aplicação textura trabalho finalizado
Neste método imagino o trabalho finalizado com a cor e que queiramos, a posterior, aplicar texturas nas diferentes áreas da pintura. Então um dos caminhos é retalhar a pintura com seleções e aplicar as texturas num layer abaixo do da cor... normalmente aqui teremos que usar blends... o mais comum nestes casos é o Multiply ou o Overlay. Devido ao uso de blends o peso da textura na escala de cinzas... teremos que adotar vários layers de texturas... para assim, termos um controle melhor da imagem final.
Exemplo abstrato da tipica aplicação de texturas numa camada abaixo daquela do trabalho definitivo.
Isto comporta uma boa dose de controle e uma certa dificuldade na construção do esquema. É muito difícil controlar isto num único layer com diferentes texturas (pesos de cinza).
Isto pode ser resolvido alterando e equilibrando o peso das texturas para um tom médio ou mesmo baixo ideal para o trabalho de cada um de nós.
Exemplo de aplicação de texturas numa unica camada abaixa daquela da pintura... este seguramente é o método mais direto e simples.
Pintura tonal e o Lock Alpha Channel
Um modo mais clássico de aplicarmos texturas é usarmos uma pintura tonal com um nível de texturas abaixo... este método é ágil e muito controlado tanto para pintar quanto para aplicar outras texturas e ou pinceladas na camada de texturas.
Esquema de camadas de pintura e de texturas sobrepostas. 
Na camada de pintura usei para colorir o Lock Alpha Channel ativado. A saturação da cor na pintura tonal é dado pelo conjunto de pinceladas e consequentemente do tom de partida na pintura tonal. Outro fator que conta é o tipo de blend que utilizamos encima da pincelada em Normal... se for Multiply... iremos sobrepor com bastante intensidade a cor (veja a parte de cima deste screenshot).

Abaixo mostro alguns traços com possibilidade de texturas tenues aplicadas em diferentes partes... precisa de uma certa prática para entender o processo da pintura e aquele da aplicação de texturas. No meu modo pensar, acho mais interessante pensar no método que aplicamos as texturas uma vez terminado o trabalho.
Camada com pintura tonal colorida com Lock Alpha Channel ativado... o pincel uma vez aplicada a cor pode conter um blend... tipo Multiply, para acentuar o tom. As texturas embaixo foram aplicadas com o Clone Tool.
--
No próximo post irei falar sobre o método do Layer Mask pra aplicar texturas nas pinturas.

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

Tentando seguir ou seguindo em frente...

Ilustração feita para um artigo do Mauro Malin no Observatório da Imprensa - 2014 - MyPaint e Gimp.
Ilustração feita para um artigo do Mauro Malin no Observatório da Imprensa - 2014 - MyPaint e Gimp.
Nos ultimos meses o blog tem estado bem parado e sem novas matérias... mas ao mesmo tempo estive trabalhando para, durante este ano, ter coisas novas e material interessante de discussão quanto as técnicas de pintura digital em ambiente de software livre.

Aproveito para colocar algumas imagens dos ultimos trabalhos que realizei no MyPaint utilizando um set que criei para pintura pastosa e úmida. Ainda precisam ser melhorados, mas já consegui produzir trabalhos oficiais que foram para blogs de jornalistas e até parou na Folha de São Paulo.
Rough para uma matéria a ser ilustrada na Folha - MyPaint.
Rough para uma matéria a ser ilustrada na Folha - MyPaint.
Os pinceis são bem interessantes e ao mesmo tempo marotos... com são certas técnicas que dão margem ao imprevisivel (aquarela e meios pastosos ou liquidos).
Aqui embaixo tem o trabalho final aonde boa parte dos recursos da pintura foram exclusivamente obtidos com os pinceis do MyPaint sem intervenção de outro programa... ou seja tudo se resolve no ato da pintura. O Gimp foi usado aqui para preparar a imagem (recortar, algum ajuste no contraste e salvar com perfil sRGB).
Materia sobre desenvolvimento industrial no Brasil - Folha de São Paulo, 2014.
Materia sobre desenvolvimento industrial no Brasil - Folha de São Paulo, 2014.
Em outros trabalhos que realizei para blogs e para o Observatório da Imprensa, são também presentes de forma evidente e divertida a pintura no MyPaint usando estes pinceis... que vocês podem ver nas imagens que coloquei aqui.
Materia ilustrando um artigo para Mauro Malin do Observatório da Imprensa - 2014 - MyPaint e Gimp.
Materia ilustrando um artigo para Mauro Malin do Observatório da Imprensa - 2014 - MyPaint e Gimp.
Eu pedi a ajuda do Mozart Couto e do L'ubomir Zabadal para testar os pinceis e tão logo seja possivel estarei viabilizando o download do set.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...