segunda-feira, 7 de outubro de 2013

novidades e repensamentos ... Krita

Uma imagem feita no krita com alguns dos pinceis tipo .gih do forks.
Um borrão feito no krita com alguns dos pinceis tipo .gih do forks.
Neste mês tenho trabalhado muito na possível integração de Krita no meu workflow... tentei vários caminhos, mantendo o meu ambiente habitual de trabalho, o Gnome. Para isto, instalei a versão ubuntu gnome 13.10 devel, que está em previsão ser o meu novo ambiente de trabalho, e comecei a testar o Krita.

O Krita 2.7.2 dentro ubuntu Gnome 13.10 devel funcionou por uns 10 dias e bem até gerar um erro de sistema... o que quebrou o programa e não consegui mais consertar ;( . De qualquer modo era provavel acontecer coisas do tipo... ambiente em alpha, beta tem muitas atualizações e isto compromete muitas vezes os programas já instalados... foi o meu caso. Mas até este fatídico momento pude entender um pouco melhor o krita, do seu funcionamento e principalmente pude testar alguns dos meus pinceis do gimp, escolhi os dinâmicos (tipo .gih). Nos rápidos testes feitos... os pinceis do forks no Krita funcionam muito bem e bastam poucas alterações nos presets!
Errata et Corrige: na verdade o problema do crash no Krita eram causados por um dos pinceis tipo .gih... que salvado e personalizado no Krita. Estranhamente estes pinceis aparecem como arquivos sem dono e talvez até quebrados... No caso deste pincel ele tinha duas dimensões com 10 camadas. O Krita tem a feature de trabalhar com os .gih do gimp, mas pelo jeito tem uma limitação e é isto que preciso entender. 
Depois de alguns emails o desenvolvedor Boudewijn escreveu o seguinte sobre os pincieis do gimp no krita:
Krita shouldn't crash on any .gih, of course. These are the gimp parasites we support on load: constant, incremental, random, pressure, angle, tiltx, tilty
We can only create brushes that have constant, incremental, random, pressure and angle parasites.
In general, creating animated brushes in Krita is a bit underdeveloped, probably because most people use presets with the all the other dynamics.
 
 Falta eu entender como o Krita administra as dimensões do .gih... pelo jeito ele aceita somente uma... pelos exemplos que vi propostos pra a realização de pinceis dinâmicos no Krita.
Montei dois boxes, um com Kde (linuxmint15) e outro com Elementary OS (ubuntu 12.04 based), que são releases estáveis. Acho que vale a pena tentar criar um ambiente estável para o Krita... pois o motor de pinceis dele é realmente muito bom... me interessou muito a possibilidade de incrementar o sharpness da pincelada em modo dinâmico, uma coisa que comecei a experimentar no gimp, mas de forma totalmente arcaica, transformando as manchas a 1bit. Estou convicto que a potencialidade dos .gih com as dinâmicas de pintura do Krita pode ser uma coisa muito interessante, mas ainda preciso entender melhor como o Krita entende os pinceis dinâmicos tipo gih com relação às dinâmicas de pintura (e isto vale também para a novas dinâmicas de pintura do Gimp). Dá pra ver claramente que o comportamento da mancha é bem diferente se uso um pincel dinâmico (.gih) ou um pincel estático com uma simples mancha (.gbr).

Instalar o krita na unha é coisa muito dolorosa e chata... prefiro me concentrar em obter um ambiente estável com uma versão do krita também estável.
Neste sentido para mim foi uma feliz surpresa o Elementary OS 0.2 (ubuntu 12.04), que é por sinal um ótimo ambiente de trabalho, bonito, leve e veloz (fui sugestionado por algumas linhas que o David Revoy escreveu...). Nele instalei o krita que estava disponível, a versão 2.4... nesta versão já tem muita coisa interessante e vou poder já experimentar a maior parte dos meus pinceis e criar uma versão básica para 2.4 e superiores (acho... tenho que olhar a documentação da escalabilidade dos pinceis nas releases superiores).

Tem a possibilidade de instalar no ubuntu e afins a versão 2.8 [http://dimula73.blogspot.fr/2013/05/krita-lime-ppa-always-fresh-versions.html]... mas não sei se vou fazer isto... acho melhor criar alguns boxes aonde as versões do krita são mais estáveis possíveis e acompanhar a saída das releases com naturalidade.

Atualmente estou mais interessado em entender quais são as diferenças entre as releases 2.4 e superiores do Krita com relação à pintura digital especificamente... plugins e funcionalidades pouco focadas na pintura, estão fora desta pesquisa.
É uma pena que os pinceis de algumas releases não são usáveis... mas ainda não entendo a razão... vou investigar e tentar contornar ou evitar o problema.

O Krita tem um motor de pinceis potente... mas a interface é meia chata e complicada... o Gimp dá uma surra... mas nada que o tempo não cure ;-)
Estou trabalhando duro pra conseguir instalar a 2.7.2 no meu futuro box ubuntu-gnome 13.10... relatando meus problemas no forum, que por sinal funciona bem, vamos ver se vai valer a pena a canseira. O Krita funciona bem no linuxmint15 KDE, versão 2.6.3 (acho) mas estou insistindo na possibilidade de usar exclusivamente o ambiente Gnome, que ao meu ver, é mais amigável e fácil de usar... alem do fato de estar já acostumado.

Ainda é cedo para 'bater o martelo' quanto ao Krita... em junho fiz trabalhos com MyPaint e Gimp, realmente pesados, alguns arquivos tinham mais de 1GiB... e consegui trabalhar sem problemas... quero ver quando eu estressar o Krita como ele vai se comportar. Por falar em MyPaint... as ultimas releases do Git estão com problemas no rendering das pinceladas (angular strokes)... devido à implementação do GTK3... mas estão trabalhando e já os efeitos destes 'angular strokes' já foram bastante minimizados... mas achei lerdo quando comparo as versões com GTK2... é como se os pinceis tivessem um pouco de smoothing ativado neles. Acredito que na release 1.2 estes problemas e muitas outras novidades estarão já OK. Uma delas é a possibilidade de montar docks com tabs... mas ainda precisa um pouco discussão.

O post tem poucas imagens, mas muito suco... esperemos, então, que seja do tipo doce :-)
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...