quinta-feira, 27 de setembro de 2012

Mypaint em formato A3 pleno, um vídeo amostra

Hoje fiz um rápido vídeo sobre o uso do Mypaint para inking encima de uma ilustração em formato A3 que estou atualmente trabalhando. Durante o trabalho não percebi lags ou atrasos da pena, uso uma velha Intuos2 USB 9x12. Ainda precisa melhorar muito o comportamento do pincel tipo pena no Mypaint... mas acredito que não vai ser uma coisa assim tão complicada. Na medida que irei tendo progressos, uma das ideias é em futuro disponibilizar os pinceis para inking, frutos desta experiência.

Confira também a matéria anterior aonde coloquei alguns screenshots dos ambientes de trabalho e imagens drafts: http://forksanddrills.blogspot.com/2012/09/mypaint-e-gimp-preview-da-minha.html

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Mypaint e Gimp - Preview da minha integração.

In progress da ilustração dentro do Mypaint 1.0, com toda a estrutura de camadas previamente feita no Gimp.
Nestes dias estou trabalhando encima de algumas ilustrações para um anuário sobre a Rede e Comunidades e pensei que seria interessante colocar em ação um método pessoal para integrar Gimp e Mypaint. Inicialmente pensei sempre o Mypaint como programa de esboços em geral e depois o Gimp para o trabalho final (coloring) e elaboração das imagens.
Neste meu método estou invertendo o processo... esboçando, desenhando, inking e colocando cor no Mypaint e finalizando no Gimp (tratamento imagem). As pranchas são bem grandes, algumas em formato A3 extra a 300 ppi, mas até agora o Mypaint se comportou muito bem e sem problemas. Estou usando a ultima versão do Mypaint em uma maquina com o linuxmint 11.
Esquema das camadas que fiz previamente no Gimp para trabalhar no Mypaint 1.0.
Esquema das camadas que fiz previamente no Gimp para trabalhar no Mypaint 1.0. Aqui podem ser vistos as camadas de esboços preparatórios à lapis e uma blueline sucessiva feita diretamente no Mypaint.
In progress de uma das imagens com a estrutura do desenho feita completamente no Mypaint 1.0.
In progress de uma das imagens com a estrutura do desenho feita completamente no Mypaint 1.0.
Tão logo termine estes trabalhos irei fazer um artigo (aliás já está esboçado) sobre todo o processo, apresentando os cuidados e avaliações desta minha integração. Ficam aqui algumas previews do trabalho em curso, aguardem o artigo que promete ser bem interessante e útil para todos... vou falar de paleta de cores RGB Safe para o CMYK, organização do trabalho no Gimp, Desenho, Inking e Colouring no Mypaint.

terça-feira, 11 de setembro de 2012

Two Things about Digital Painting by L'ubomir Zabadal

Breve introdução
L'ubomir Zabadal é assistant lecturer de Artes da Universidade de Nitra na Eslováquia, este artigo é uma apresentação do seu percurso na Pintura Digital. O portfolio dele vocês podem encontrar aqui:
http://www.kvtv.pf.ukf.sk/o-katedre?id=44
Quanto ao texto enviado pelo Zabadal, achei melhor deixar o texto na versão original em inglês.
Lendo o texto, vocês irão notar o enfoque sui generis dos métodos e das razões do seu trabalho artístico como também da sua produção de pinceis para o Gimp... Os exemplos de pinceis que realizei no precedente artigo são explicados no ponto 2 deste artigo ... então boa leitura e estamos esperando os comentários de vocês. [Americo Gobbo]
Exemplo do uso dos pinceis "Wood" feito por L'ubomir Zabadal.
Exemplo do uso dos pinceis "Wood" feito por L'ubomir Zabadal.
TWO THINGS
By L'ubomir Zabadal
I am a teacher. As a teacher I have been working in the field of traditional graphic and in 2001, I moved onto digital image. I work with drawings, paintings and photos every day, which can sometimes be exhausting, but it is always very interesting. Lately I have been mostly interested in two things:

1. looking for new visual effects in digital image:
For this purpose I use digital photograph, which serves as a source of data. Parts of photos can be used for collages, but this method is not as free as creating digital images using brushes, created from parts of photos. These brushes offer more freedom. They are „softer“ than a piece of the photo. When creating a collage, I try to remove the ridigity of a photograph using different permeation modes, but still, it is not free painting. There is a paradox – a digital photo offers new visual options, but is not as flexible as a digital painting. This problem is overcome for example by Matte painting by permeating a simple painting and details of photographs. It is a typical digital image – and the internet is full of such. They are usually created in Adobe Photoshop. Because of this, I am looking for something different. I am working against the photo. I use parts of photos to create brushes and I try to create an effect which I have never seen before. Parts of photos have to be irregular, so that they are easier to merge into new images. I take photographs of water, bark, foam, small plants, rocks, etc.

I am interested in the image, created by controlling coincidences. I do not find it fun to create the outline of a painting and then add color until it looks like a photo. I want the image to be a surprise even for the author :-)

2. My second goal is the simulation of  traditional graphic techniques. I am sentimental. I have studied traditional graphics. I have done Etching, Aquatint, Mezzotint, Lithography... With the arrival  of comupters, these techniques became more expensive and harder to access. Doing big aquatints and litographies is very expensive – both for a school and the artist. Because of that, I am trying to preserve these techniques in a digital form. I create brushes for lithography, woodcut, dry-point, mezzotint. There is a wide variety of brushes for traditional drawing, but old graphic techniques have been pushed out to the edge.
When simulating, I have to solve different technical problems, for example resolution. When simulating Etching, when I zoom in on the monitor, it changes. When should the simulation be best?  When I am looking at the details of the image at 100% zoom? When I print the image at 300dpi? When I am looking at the image using retina display? I am looking for a compromise.
Another problem is the movement of the user of a digital brush – his habits. Habits and the perception of every artist is different and that is good. When I publish a very specific brush on the internet, the simulation will not be very good. In this area, I try to find the compromise between being specific – the simulation of the technique – and being universal – creating new effects.
I am also interested in simulation of the surface of different materials. Gimp offers some tools – the Bump Map filter, but the free version of Artweaver has a palette with more tools. It would be good to create a similar palette for Gimp.

The brushes that I presented to Forks and Drills simulate traditional techniques such as lithography, red chalk or woodcut.
In the „Wood“ set, I tried to solve two problems in one brush: the stroke of the engraving tool and the surface of the wood. I solved the irregularity of the engraving tool's edge by randomly alternating between five irregular horizontal tracks in an animated gih track. By overlapping of the tracks, a continuous line was created. Because of that I painted light lines in individual phases, approximately in the same spot. This way, alternating between the phases leaves behind trails simulating wood.
In the „Lithographic chalk“ set, I was inspired by techniques from www.graphicatlas.org. Based on microscopic photographs on this page, I painted animated tracks of different sizes to maintain the granularity of  the litographic stone when changing the brush. The standard sizes were recommended by A. Gobbo.
The „Red chalk“ set was based on observing real features of a red chalk painting. The number of phases of animated tracks was reduced to 4 to make the refreshing of the image faster. The process is also speed up by the fact that the basis of the track was the same ellipsis. The only difference between the tracks is the amount of light points.
The „Round“ set was created by accident. One night, I was using the basic brush of GIMP and I had an idea to change it's edge. I drew four phases using a round track and I painted the outline with white color using smaller versions of brushes from my archive,. One of them was the „Wood“ brush. I was surprised to see that using the Size dynamics, I can use these  tracks to simulate Sumi-e and other brushes.
The „Greenery“ set brushes are also composed of four phases. The texture is painted inside the track using a white-colored spotter brush. I want to create a simulation of  trees and bushes. I am also working on some sets simulating water, tree bark, etc. but I will write about that later.

I would like to thank Mr. Gobbo for testing the brushes and his sound advice. It is interesting to observe how the brush changes in the hands of a different artist. I wish you a lot enjoyment when experimenting!

segunda-feira, 10 de setembro de 2012

Gimp Zabadal brushes and the mouse

Greenery Brush Series de Zabadal por Americo Gobbo, Gimp, 2012.
Greenery Brush Series de Zabadal por Americo Gobbo, Gimp, 2012.
Achei um tempinho para fazer alguns rabiscos com a serie de pinceis que o L'ubomir Zabadal me enviou. Como vocês já tiveram acompanhando outras matérias sobre L'ubomir Zabadal neste blog... ele projeta e realiza pinceis para o Gimp e os utiliza em seus trabalhos e de seus alunos na Universidade de Nitra.
Até o momento o Zabadal me enviou cinco diferentes tipos de pinceis, Greenery, Lithographic Chalk, Red Chalk, Round e Wood. Vou pedir a Zabadal para fazer uma ficha de cada tipo, para entender as suas motivações e usos destes pinceis, que tão logo estejam prontas, irei integra-las a este artigo [leiam as motivações do Zabadal no artigo http://forksanddrills.blogspot.com/2012/09/two-things-about-digital-painting-by.html, ponto 2].

As minhas motivações para realização destas imagens foram basicamente duas:
  • construir imagens informais e orientadas pelo o in progress dos "rabiscos" que surgiram durante cada uma das sessões. Neste sentido as imagens tem diferentes estilos e não pretendem ser obras primas... mas simplesmente exercícios do uso de cada tipo de pincel.
  • utilizar exclusivamente o mouse de baixa resolução, sem me preocupar minimante do efeito serrilhado das linhas... quando olhadas com o zoom. 
Estou pesquisando a possibilidade de construir um dispositivo para desenhar baseado em um mouse ótico com um minimo de 800 dpi.  Encontro muito interessante a possibilidade de uma caneta ótica para desenhar... muitas interações para regular opacidade e tamanho dos pinceis no Gimp podem serem feitos muito bem com o wheel do mouse e combinações com diferentes teclas com Ctrl e Shift. Estou experimentando fazer isto com "Input Controler" das preferências do Gimp.
Greenery e Lithographic Chalk Brushes de Zabadal por Americo Gobbo, Gimp, 2012.
Greenery e Lithographic Chalk Brushes de Zabadal por Americo Gobbo, Gimp, 2012.
Red Chalk Brushes de Zabadal por Americo Gobbo, Gimp, 2012.
Red Chalk Brushes de Zabadal por Americo Gobbo, Gimp, 2012.
Wood Brushes Series de Zabadal por Americo Gobbo, Gimp, 2012.
Wood Brushes Series de Zabadal por Americo Gobbo, Gimp, 2012.

quinta-feira, 6 de setembro de 2012

Digitalização de desenhos à lapis para comics | David Revoy tips

Tutorial do David Revoy sobre a digitalização e uso de desenhos à lápis para comics.
Tutorial do David Revoy sobre a digitalização e uso de desenhos à lápis para comics.
Há alguns meses escrevi um breve tutorial sobre a digitalização de desenhos à lápis para vários usos.
http://forksanddrills.blogspot.com/2012/05/scanning-pencil-drawing-on-linux-in.html

O tutorial está bem completo, mas nesta semana o David Revoy, publicou um artigo sobre o assunto... aonde basicamente ele utiliza as mesmas técnicas que expliquei, mas ele adicionou outras dicas que são úteis para eventualmente substituir o 'inking' do traço.
http://www.davidrevoy.com/article129/pencil-to-digital-painting

Ele dá a dica de utilizar o G'mic plugin em modo bem interessante e realmente util para a substituição do processo do inking dos traços à lapis. Além deste plugin... explica o uso combinado de Krita, Mypaint e Gimp. Vale a pena conferir.

domingo, 2 de setembro de 2012

Vídeos tutoriais das tags ou etiquetas no Gimp 2.8

Finalmente consegui achar um pouco de tempo e terminar os dois vídeos sobre o funcionamento das etiquetas ou tags no Gimp 2.8.
A Parte 1, é uma panorâmica sobre o assunto... aonde explico como utilizar em modo eficiente a opção pela qual o Gimp 2.8 transforma os nomes das pastas em tags... e explico em modo rápido como funciona a instância de filtragem das tags.



Na Parte 2, eu explico como funciona e como usar as duas instancias... aquela de filtragem e a de edição de tags.


Os artigos de referência do Forks a este tema são os seguintes:

A funcionalidade dos tags no Gimp 2.8, ainda deve ser corrigida de alguns bugs e incompreensões, mas mesmo assim é já usável! Espero que vocês gostem das dicas e dos vídeos.

Addendum [04/09/2012]
Em breve estarei realizando um breve post sobre as dicas aqui expostas para o ambiente do Windows. Infelizmente a realização de links simbólicos, com as mesmas prerrogativas em ambiente Linux, não é assim tão facil e evidente em ambiente Windows.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...